Blog

Saiba a forma certa para deixar de pagar pensão alimentícia

Existem situações nas quais é exigido o pagamento de “Pensão de alimentos” e esse conceito é bastante conhecido pela maioria das pessoas, mas as dúvidas normalmente surgem, como:

  • Quando posso parar de pagar pensão?
  • Até que idade tenho que pagar alimentos?
  • Qual a forma certa de tirar a pensão?

Aqui vamos esclarecer as principais dúvidas referentes a estas questões.

As pensões podem existir por fatores diversos e a mais conhecida é a pensão paga do pai para os filhos, que tem finalidade de dar condições dignas de vida para o menor, quando os pais são separados e a falta do seu pagamento pode gerar desde multas até prisão.

Outro formato menos comum mas também conhecido é a pensão paga à ex-cônjuge, que ocorre quando, ao sair de uma relação uma das partes não tem condição de arcar com o próprio sustento, sendo atribuído ao ex-parceiro o pagamento temporário de Pensão de Alimentos.

Vale ressaltar que o objetivo da Pensão sempre é a manutenção de condição de vida, temporária ou definitiva em casos específicos, mas nunca o enriquecimento através do seu recebimento.

Entendendo as situações nas quais pode ser gerada a obrigação, vamos conhecer os momentos que você pode parar de pagar, os casos que podem levar à desobrigação e quais os caminhos procurar para extinguir essa atribuição de forma legal, evitando possíveis transtornos futuros.

Aos 18 anos a pensão acaba?

Seu filho completou 18 anos e agora você não precisa mais pagar pensão? Calma que não é bem por aí. Por mais que se acredite que nessa situação seja automática a desobrigação, ela não é, e fazer isso de forma aleatória pode gerar uma dívida.

Existem casos nos quais a pensão permanece mesmo após a maioridade, um deles ocorre quando o filho faz faculdade e não tem condições de arcar com os estudos, o que pode amparar a obrigação até que complete os 24 anos ou tenha sustento próprio.

Outra situação, em caso de incapacidade ou deficiência, pode interferir na condição de sustento, de forma que mantém a necessidade de continuar o pagamento da pensão.

Cada caso pode gerar um entendimento diferente e um detalhe pode fazer toda a diferença, tanto para que você esteja tomando a atitude correta, quanto para que possa se prejudicar mais tarde por um descuido.

Neste caso, para evitar um futuro incômodo deve-se consultar um Advogado especializado em Direito de Família para regularizar a situação, é o profissional apropriado para orientar quanto a pontos de atenção e trazer mais tranquilidade para você.

Quando a obrigação acaba com menores de idade?

No caso de menores de 18 anos a obrigação pode cessar em algumas situações também, porém, neste é necessária a apresentação de provas que possam justificar o término.
Um exemplo é o caso de um menor que se casa, pode acontecer após os 16 anos com a autorização dos pais e a apresentação da Certidão de Casamento pode ser utilizada na ação como prova de que o menor não deve mais receber a pensão.

Ainda quanto aos menores, pode ocorrer no caso do exercício de cargo público ou de economia própria, que possa garantir o seu sustento, o alimentante também pode recorrer a ação de exoneração de alimentos para suspender a obrigação.

A emancipação expressa e legalmente aceita do menor, também pode ser entendida como prova em ação de Exoneração de Alimentos, mas não faz com que seja automática a alteração, dependendo sempre de decisão judicial.

Pensão alimentícia à Ex-cônjuge

Quando o caso de pensão se atribui a ex-cônjuge esta não tem um período pré determinado, o que pode levar a confusão, já que a sua existência tem caráter de auxiliar a pessoa até que se estabeleça e não seu sustento por tempo indeterminado.

Alguns dos motivos que podem levar a desobrigação neste caso pode ser por exemplo a comprovação de que o mesmo está trabalhando e tem condições de se manter.

O fato do Alimentado estar em outro relacionamento, como uma união estável ou casamento pode dar procedência na ação de exoneração de alimentos, mas sempre será necessária a apresentação da contestação e de provas, sendo somente após a decisão do Juiz possível cessar o pagamento.

Para que em qualquer caso se possa deixar de pagar a pensão, você deve consultar um advogado, pois diferente do conhecimento popular, não é automática a desobrigação, mesmo quando o fato está a seu favor e o descumprimento desse pagamento poderá gerar dívidas e processos de maior proporção desnecessariamente.

Um advogado especializado tem todo conhecimento necessário para solucionar seu caso e trazer sua tranquilidade de volta.

Está em alguma dessas situações e precisa de ajuda? Não espere mais para entrar em contato! Como advogada em Direito de Família terei prazer em auxiliar no que for preciso.

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Deixe um comentário